Cocó Solido

Pois é, longe vai o tempo em que o cocó do meu João era amarelinho, líquido e quase inodoro! caso não tenham lido este post podem fazê-lo aqui

Com três refeições de sólidos por dia o cocó do João é agora mais duro. Na fralda fica um género de pasta que se desprende do tecido facilmente deixando apenas pequenos resíduos. .

A maior parte das vezes consegue-se sacudir totalmente para a sanita, ouvindo-se aquele som “adorável” do cocó a cair: ploff!!! 🙂

Agora quem é sensivel ao cocó de bebé deve fechar os olhos 🙂
DSCF1563_2

A fralda vai para o saco impermeável praticamente só com o xixi.

A fase que pode ser mais complicada para os pais a este nível é quando o cocó não é sólido o suficiente para se conseguir sacudir, nem mole quanto baste para nos sentirmos confiantes a deixa-lo ir para a máquina.

Na primeira fase de introdução de alimentação complementar (almoço e lanche), o cocó do João passou a ser mais consistente. Ainda assim não tinha a solidez que permitisse retira-lo facilmente quando o sacudia.

Nunca cheguei a utilizar os revestimentos bio degradáveis que acredito que ajudem bastante nesta fase pois é só embrulhar o” presente” e deitar fora facilitando o processo de eliminação das fezes da fralda. Aconselho também ás pessoas mais sensíveis de estômago! 🙂

Como entretanto introduzi mais uma refeição o cocó tem vindo a tornar-se mais duro, então já é mais fácil e a maioria das vezes é só mesmo virar a fralda ao contrário na sanita e adeus cocó! J

Com os legumes e o suplemento de ferro que a pediatra receitou, as fezes tornaram-se mais escuras e o cheiro é também mais intenso, nada a que uma mãe não se habitue.

Não sei se acontece com os Vossos bebé, mas apesar do cocó agora cheirar pior, sinto dificuldade em perceber quando o João fez porque a fralda não cheira mal. Então tenho de espreitar ou meter mesmo o nariz entre a virilha e a fralda para me certificar.
A nível de alergias e assaduras não tenho episódios para contar, felizmente!

Apenas se não dermos conta que o João fez cocó e não mudamos imediatamente a fralda o rabinho fica um pouco marcado exatamente. Nestes casos limpo muito bem com as toalhitas, deixo algum tempo ao ar e na próxima muda a pele está como nova!

Confesso que pensava que iria ter alguma dificuldade com este lado da maternidade, mas agora não tenho nojo de nada; cocó, bolsado, vomitado (também acho que se for dos nossos filhos é diferente). Tanto eu como o meu marido lidamos bem e naturalmente com todo o processo de mudar a fralda, limpar o cocó, por a lavar…

Vejam só, as vezes que já falamos em cocó! Algum dia pensei em tirar fotografias a cocó?!

A maternidade tem destas coisas…

Lavar Fraldas à Mão – Como, Quando e Porquê?

Como lavam as vossas fraldas reutilizáveis? Na máquina de lavar! Certamente foi o que pensaram ao ler a minha pergunta. A maioria de certeza nem pensou noutra alternativa, e talvez como eu, já nem consiga imaginar a cozinha sem este nosso amado objecto, que infelizmente ainda não passa a ferro, nem dobra as roupa direitinho e as arruma nas gavetas certas (espero que um dia lá chegaremos)!

Mas existe mais alguma forma de lavar fraldas sem ser à máquina? Numa era tecnológica como a nossa faz sentido voltar atrás no tempo e voltar a lavar as roupas à mão?

A verdade é que apesar da lavagem na máquina ser a alternativa mais utilizada pelos nossos clientes e por nós, muitas são as razões que nos podem levar a ter que lavar as fraldas à mão, são elas:

A minha máquina avariou: E que motivo mais poderia existir?? A verdade é que muitas vezes só nos apercebemos da falta que a nossa máquina de lavar nos faz quando ela se avaria. Pior ainda é quando isso acontece exatamente a meio da lavagem de fraldas quando o nosso stock de fraldas prontas a usar já está mesmo a acabar! Se alguém tiver este infortúnio, depois de ler este post já vai saber como fazer em alternativa a levar as fraldas para a casa dos pais ou dos sogros;

Socorro, estou prestes a ficar sem fraldas limpas! Para quem não tem muita margem de manobra com as fraldas (quando não se tem no mínimo as 24), quando a nossa rotina de lavagens se modificou (por exemplo com viagens), ou quando o nosso bebé fica doentinho da barriga e suja mais fraldas do que o normal, por vezes pode ser mais fácil lavar algumas fraldas para que sequem e estejam prontas para usar, do que esperar para termos as fraldas suficientes para a lavagem;

Gosto pessoal – Existem algumas famílias que preferem lavar as fraldas à mão, pois entendem que isso prolonga a vida das fraldas;

Férias num Hotel – Muitas vezes os hotéis onde optamos por passar férias não dispõem de máquinas de lavar, e nem sempre conseguimos ter a certeza de que a lavandaria dos mesmos sabe cuidar devidamente das nossas preciosas fraldas. Por isso muitas famílias que optam por hotéis para passar as férias acabam por utilizar a banheira para as lavagens à mão.
A verdade é que a lavagem à mão é mais fácil do que se pensa. Na Ecologicalkids somos amantes das lavagens na máquina, mas se for necessário podemos lavar as nossas fraldas à mão.

Lavar fraldas reutilizáveis à mão

Lavar fraldas reutilizáveis à mão

Independentemente do motivo para lavarmos as fraldas à mão, para a lavagem aconselhamos que utilizem roupa que se possa molhar (ou que usem de avental) e não se esqueçam do Rockin Green!

1º Passo – Coloquem a tampa na banheira ou no lavatório (da cozinha, da casa de banho, no bidé…), ou agarrem num balde ou uma bacia e coloquem 2 colheres de Rockin Green na versão Classic ou Hard dependendo da dureza da água da localidade onde estão a realizar a lavagem.

2º Passo – Encham com água quente (o mais quente que conseguirem suportar). Certifiquem-se que colocam água suficiente que permita às fraldas mexerem-se livremente.

3º Passo – Coloquem as fraldas na água com detergente de forma a que fiquem completamente encharcadas e molhadas (não se esqueçam de as colocar com o tecido de contacto para baixo de forma a que a parte suja da fralda esteja em contacto total com a água com Rockin Green). Caso desejem podem deixar as fraldas de molho;

4º Passo – Esfreguem as fraldas à mão (como se estivessem a amassar pão), durante vários minutos, até que não restem vestígios de sujidade;

5º Passo – Destapem o lavatório ou a banheira, ou deitem fora a água (caso esteja a utilizar um balde), e enxáguem sob água quente, várias vezes, até que a água esteja completamente límpida (já que é essencial retirar todos os vestígios de detergente que possam existir);

6º Passo – Torçam bem e estendam as fraldas, se possível num local onde bata o sol;

Dicas Importantes para a Lavagem das Fraldas Reutilizáveis à mão

– Caso optem por lavar sempre à mão, deverão ter mais fraldas do que as que recomendamos como mínimo (ou seja mais do que as 24 fraldas) uma vez que levarão em média bem mais tempo a secar;

– Se necessitarem lavar as fraldas à mão poderão optar por lavá-las todos os dias, de forma a lavar menos fraldas de cada vez, tornando o processo menos cansativo;

– Poderão usar a banheira do bebé para colocarem de molho as fraldas antes da lavagem;

– Antes da lavagem enxáguem as fraldas com água fria evitando que as nódoas se agarrem ao tecido;

– Não se preocupem se as fraldas e absorventes estiverem mais rijos depois de os apanhar do estendal, eles voltarão a ficar suaves e macios assim que regressarem à temperatura ambiente;

– Se não conseguirem colocar as fraldas a secar na rua podem sempre colocá-las dentro de casa, não se esqueçam apenas de que levarão mais tempo a secar, principalmente os absorventes;

Et voilá! Não é assim tão difícil pois não? Já tiveram que lavar as vossas fraldas à mão? Como correu? Onde foi? Secaram bem? Contem-nos tudo!

Branqueadores ópticos: a Ilusão do Branco

As suas roupas estão mesmo brancas depois de as lavar? Tem mesmo a certeza?

Já alguma vez pensaram porque não recomendamos que se utilizem detergentes com branqueadores ópticos na lavagem das fraldas? O problema causado pelos detergentes comuns que relatei no meu post anterior acabou por me deixar mais desperta e curiosa acerca dos detergentes e da sua composição.

A maioria dos detergentes da roupa comuns contêm branqueadores ópticos. Depois de alguma pesquisa percebi que estes químicos são do “género ilusionista”  e iludem-nos  transmitindo uma sensação de brancura. Surpreendidos? Mas é verdade! Estes compostos (branqueadores ópticos) deixam resíduos na roupa que refletem a luz ultra violeta das roupas dando-nos a ilusão de estarem mais brancas do que na realidade estão! Estes  compostos não limpam mais intensamente! Os resíduos que deixam nos tecidos aparentam que as cores estão mais vivas do que na realidade. Se pensarmos bem no nome do composto percebemos que a designação até faz jus a esta explicação, são branqueadores ópticos, ou seja aos nossos olhos as roupas parecem-nos branqueadas.

Se são resíduos que não são eliminados nas lavagens, mas antes “colados” aos tecidos isso quer dizer que andamos a vestir roupas que não estão completamente limpas e carregam químicos? São estes branqueadores nocivos? Sim para ambas as questões! Estes químicos presentes nos detergentes acabam por afetar primeiramente pessoas com pele sensível, pois estas são as primeiras a manifestar efeitos nocivos. Já sentiram comichão e ardor sem razão aparente? Talvez sejam os efeitos nefastos dos branqueadores ópticos!!

No caso das fraldas reutilizáveis quais são os efeitos colaterais? Para além de mascararem a brancura dos tecidos, os branqueadores ópticos enfraquecem também os elásticos das fraldas, e colam-se aos tecidos de contacto das fraldas. Ao estarem em contacto 24horas com a pele do bebé, ainda mais numa zona tão sensível, podem provocar alergias muitas vezes atribuídas a outras causas e podem até permitir que a sua pele fique ainda mais sensível ao sol, queimando-se mais facilmente, aumentando o risco de desenvolvimento de doenças de pele.

Incrível o que uma escolha aparentemente tão banal pode trazer para o futuro não é?

o que são os branqueadores ópticos?

o que são os branqueadores ópticos?