Um ano de maternidade

É verdade… No passado dia 24 fez um ano que o João nasceu.

Quando olho para trás nem acredito, um ano? Como foi possível passar tão depressa?! Num piscar de olhos já está tão crescido.

Parece que foi ontem que nos conhecemos… Que o nosso olhar se cruzou quando o colocaram no meu peito e o Mundo parou naquele momento tão nosso, tão único.

Ali estava aquele Ser tão pequenino, no seu estado mais puro… E eu tão feliz a contemplá-lo! 🙂

Desde esse dia tudo mudou, eu tornara-me mãe! Seria responsável por o proteger, confortar, cuidar, por tudo fazer para ele crescer feliz e saudável.

No início foi complicado, o João era muito chorão! Mas tudo se organizou com uma boa dose de instinto mas também de aprendizagem.

Passa tão depressa, às vezes tenho vontade de parar o tempo só para aproveitar mais um bocadinho do meu João bebé.

Mas também é bom vê-lo evoluir e crescer cheio de vida, a arrastar cadeiras, a agarrar comandos e telefones, a abrir portas, gavetas e a pôr tudo fora de sítio, a gatinhar como um foguete quando vê a máquina da loiça aberta, a espalhar fraldas e absorventes no chão quando estão dentro de casa a secar no estendal!:-)

Apesar do trabalho, da angústia quando o vejo adoentado, das noites mal dormidas que nos levam muitas vezes a desesperar, o amor que ele me dá, sem o saber, o sorriso quando chego a casa, os “beijinhos à esquimó”, os abracinhos, as traquinices, tudo compensam e fazem valer muito a pena ser mãe! 🙂
DSCF1696

Hoje sinto-me mais responsável, organizada, mais completa, entendo melhor as mães e principalmente a minha. Sei como é sentir o maior amor do Mundo!

Posso dizer que este foi sem dúvida, o melhor ano da minha vida.

Ser mãe é mesmo a melhor coisa do mundo, não acham?

Mãe salva o seu bebé com abraços, carinho e leite materno

Decidi partilhar esta história convosco porque mostra a importância do contacto entre mãe e bebé, claro que foi um milagre mas a razão porque aconteceu foi esta mãe ter ficado com o seu bebé junto a si.

A mãe Kate Ogg teve os seus gemeos às 27 semanas, uma menina e um menino, a menina nasceu bem mas o menino depois dos médicos tentarem durante 20 minutos que respirasse sem sucesso foi declarado morto.

Nessa altura o médido com o bebé embrulhado vai entregá-lo à mãe e diz que infelizmente ele não conseguiu sobreviver.
A Kate, já sem esperança numa tentativa de sentir o seu bebé tirou-o da sua manta e colocou-o diretamente junto à sua pele , embalando-o assim ficou a falar com ele a acarinhá-lo durante duas horas; até que a coisa mais maravilhosa aconteceu, alguns goles de ar parecem sair de repente da boca do bebé, o que os médicos informaram ser um reflexo, para não terem esperança, nessa altura a kate coloca com o seu dedo umas gotas de leite materno na boca do bebé e este começou a respirar normalmente, passado uns segundos o bebé abre os olhos, movimenta a cabeça de um lado para o outro e segura com a sua mãozinha o dedo da mãe.
A Kate apenas soluçava e o médico dizia que não podia acreditar.
Mother Brings Baby Back to Life With Two Hours Of Loving Cuddles After Doctors Pronounce Him Dead

Passados alguns dias, esta mãe australiana falou publicamente, disse que o que fez foi instintivo  e que acha que foi isso que salvou o seu bebé.

A kate contou que após 3 horas de parto e de vinte minutos a tentarem salvar o seu bebé o médico apareceu no quarto e perguntou? ” já escolheram o nome para o vosso bebé?” ao que eles responderam ” sim, Jamie” , aí o médico, com o bebé embrulhado nos braços disse ” Perdemos o Jamie, ele não conseguiu sobreviver, desculpem”.

Nessa altura a Kate despiu a sua camisa de dormir hospitalar, recebeu o seu bebé, tirou-lhe a manta e juntou-o ao seu corpo, embalando-o enquanto ela e o marido falavam com o bebé, dizendo-lhe como se chamava, que tinha uma irmã e falaram do que teria sido a vida dele e o que podiam ter feito juntos.
A Kate diz “que o Jamie de vez enquando fazia o reflexo de ar mas eu começei a sentir movimento e quando lhe dei a gota de leite ele começou a respirar”

Com o Jamie já com cinco meses a Kate foi com o seu marido e filhos a um programa de televisão australiano, fica aqui a reportagem caso desejem ver.

Fraldas reutilizáveis desde a maternidade … ou desde o dia 3

A maioria dos pais que decidem utilizar fraldas reutilizáveis pela primeira vez opta por no entanto levar para a maternidade fraldas descartáveis,  quando já se vai para o segundo filho já se ganhou completa confiança e aí deseja-se mais que tudo que desde a maternidade e especialmente desde a maternidade o bebé tenha como primeira fralda uma reutilizável pois evita-se colocar a pele do bebé que ainda é tão fina quase transparente exposta aos químicos, assim todos os pais que vão passando pela ecologicalkids e que já vão no segundo bebé utilizam fraldas reutilizáveis desde o dia 1.

No meu caso utilizei fraldas reutilizáveis desde a maternidade e se este é o Vosso desejo vou dar-vos umas dicas.
Nos primeiros dias o bebé não faz muito cocó,  lembro-me que o meu filho nos 3 dias em que estive na maternidade fez 3 ou 4 vezes cocó, já em casa começou a fazer umas 4 a cinco vezes por dia! 🙂
Assim, para a maternidade devemos levar apenas umas 8 fraldas recém nascido por cada dia ou em alternativa o pai pode levar para casa as fraldas para as lavar e voltar a levá-las para o hospital, o que permite ter menos fraldas, deve-se também levar um saco para a creche que permite guardar as fraldas sujas.

Digo fraldas recém nascido pois considero-as mesmo necessárias até porque o meu bebé nasceu antes do tempo com 2300Kg e as fraldas recém nascido acentavam na perfeição.
Caso decidam não levar fraldas reutilizáveis para a maternidade pronto não usam desde o dia 1 mas desde o dia 3 🙂
Assim e em resumo:

6  a 8 fraldas por dia
1 saco impermeável (tamanho de creche)

Para que vejam como as fraldas recém nascido se ajustam bem coloco aqui um foto da Sara a bebé da nossa cliente Ana Rita Monte (no dia 3 já em casa)

Mal chegámos a casa pusemos a fraldinha maravilha...e adoramos todos!  Ana Rita Monte

Mal chegámos a casa pusemos a fraldinha maravilha…e adoramos todos! Ana Rita Monte

Não tenho nenhuma foto do meu bebé despido na maternidade, mas aqui fica uma foto dele lá e garanto que estava com uma fralda recém nascido menta 🙂

o meu bebé :-)

o meu bebé 🙂

Caso já tenham passado pela experiência, como correu? que dicas sugerem?